Onde está a felicidade?

Onde está a felicidade?

publicado por Paula (Prem Nigama)

Ao falar de felicidade, lembro de um dia em que estava tomando café com uns senhores mais velhos e um diz para o outro: “já fui rico, já fui pobre, com certeza prefiro ser rico”. E o outro responde: “também já fui rico e já fui pobre, eu prefiro ser feliz”.

Muito da nossa felicidade parece depender do que está à nossa volta, do externo. E, de certa forma, é verdade. Uma casa confortável, um trabalho interessante, uma família bem relacionada, um parceiro ou parceira que nos entende, um reconhecimento do chefe, uma viagem para a praia, enfim. Essas coisas nos deixam felizes. 

Por outro lado, nada disso nos traz felicidade se não estivermos abertos para ela chegar. Às vezes, o pôr do sol, o dinheiro no bolso, o carro importado, uma declaração de amor, nada disso nos movimenta de verdade, parece que não é o suficiente, parece que a felicidade não chegou, apesar de acharmos que deveríamos estar felizes com aquilo.

E isso geralmente acontece quando não estamos bem com nós mesmos, como costumamos dizer. Se algo nos incomoda, se há uma tristeza, uma preocupação, uma frustração ou baixa autoestima, nada do que surgir ao nosso redor nos trará alegria, pois só teremos os olhos da tristeza, da preocupação, da negatividade para olhar para aquilo. O mundo é o que escolhemos ver. 

E como sermos felizes?

Essa pergunta existe desde que o mundo é mundo e, infelizmente, não há uma resposta certa ou uma receita precisa, mas há propostas de caminhos.

Entendemos felicidade como um estado de espírito, um estado de paz interior, um estado de equilíbrio interno. Neste estado, não quer dizer que não há tristeza ou raiva. Podemos estar tristes, mas nós sentimos a tristeza, choramos e deixamos ela se esgotar e ir embora, abrindo espaço para todas as outras emoções.

O que nós buscamos não é não ficarmos tristes. A tristeza é importante para o nosso crescimento, para momentos de introspecção, para nos conhecemos melhor. Inclusive é a tristeza quem nos dá a noção do que é a felicidade.

O que buscamos é não sairmos do equilíbrio com tanta facilidade e, se entrarmos em desequilíbrio, voltarmos ao estado de paz com mais facilidade.

E isso não é algo pensado, que se entende e é possível fazer a partir do outro dia. Isso é um aprendizado. Ser feliz é um aprendizado e uma escolha.

E escolher não é fácil, pois, se você escolhe uma coisa, perde outra. Se for para escolher, que seja algo que te liberte, não que te aprisione. Felicidade é dizer sim para aquilo que você quer para a sua vida, e não para  aquilo que você não deseja ver mais acontecendo na sua vida.

É olhar ao redor com diferentes olhares. Nós sempre julgamos. Mas, quando olhar para algo, procure ver mais do que a sua primeira impressão. Sempre que você ver algo ruim, procure ver o que tem de bom naquilo. Assim como, ao ver algo bom, procure perceber o que tem de mau naquilo também.

Isso é um bom exercício. Ele amplia a nossa percepção sobre a realidade.

Outra prática interessante é olhar para si. Lá dentro. Pode não ser fácil, ás vezes, mas o que virá depois é maravilhoso.

Olhe para dentro e permita-se sentir o que há dentro de você e expresse. Procure expressar o que você sente, procure dar vazão ao que você sente. Expresse em desenho, cante, dance, ria, fale para o espelho, fale para quem tem de ouvir, bata no travesseiro, xingue a foto, mas coloque para fora.

Se você escolher ser feliz, será uma aventura e uma caminhada incrível. E, neste caminho, sendo rico ou pobre, sozinho ou acompanhado, jovem ou velho, tendo ou não tendo, você estará em paz e tranquilo. 

Felicidade não é um lugar a se chegar, felicidade é um caminho a se seguir!

Paula (Prem Nigama)
Autora do ebook Tantra a Dois, passou pelas principais escolas de Tantra do Brasil.Advogada, deixou o mundo corporativo para mergulhar numa jornada de autoconhecimento através do Tantra. É certificada em Terapia Tântrica, Técnicas de Respiração e Renascimento pelo Centro Metamorfose. Foi assistente de grupos do [...]

Veja o perfil completo

Quer receber nossas newsletters no conforto do seu email?


Atividades da Terapêutica Tântrica

Outros artigos interessantes para você