Prem Ragini

Terapeuta filiada à Rede Metamorfose

Faça contato:

Atendimentos:

Terapeuta Tântrica, especializada em disfunções sexuais, renascedora e palestrante.

Terapeuta Tântrica, Renascedora e Instrutora de Cursos Individuais 
e de grupos "Curso Livre de Massagem Tântrica", com Especialização em Disfunção Sexual e formação também em Renascimento, Terapias Integradas de Respiração (TIR) e em Psicologia Budista na Sanga do CEBB no Recôncavo Baiano. Graduanda em Somatic Experience 
(Liberação de Trauma) pela Associação Brasileira de Trauma.

Atende homens, mulheres e casais com o Método Deva Nishok de Massagem Tântrica para proporcionar estados alterados de percepção e consciência através das técnicas de Terapêutica Tântrica, Sensitive Massagem, Êxtase Total, Lingam, Yoni Massagem, G-Spot e P-Spot Massagem. Utiliza meditações ativas, técnicas de respiração e conhecimentos da Somatic Experience em seus atendimentos de Massagem Tântrica, para intensificar o resultado do trabalho e potencializar o processo de auto conhecimento, dissolvendo bloqueios e traumas emocionais, desbloqueando a potência orgástica, o que promove reequilíbrio físico, mental e emocional.

Como renascedora, realiza atendimentos individuais e facilita Encontros de Respiração Circular, que potencializam o processo de auto conhecimento e remoção de bloqueios e traumas emocionais. Foi residente na Comuna Metamorfose, em 2013, por 04 meses no Programa Flowing, o que lhe possibilitou uma intensa experiência, aprimorando a condução de grupos em vivências, em meditações ativas e vibracionais.

Próximos eventos em Feira de Santana: "A Arte de Sentir"- Tantra para mulheres no dia 05 de maio e Curso Livre de Massagem Tântrica dias 26 e 27 de maio.

Formações e Experiências

Atuação

Depoimentos sobre o trabalho de Ragini

A Massagem Tântrica nos eleva a um outro nível de consciência sobre nós mesmas. Nós, mulheres, que crescemos sendo podadas do nosso brilho, da nossa luz, do nosso poder, nos reencontramos a cada toque dessa terapia em nosso corpo. Nos reencontramos porque ela desperta em nós uma energia adormecida, uma luz que estava apagada, uma força que estava esquecida.
A Massagem Tântrica é sobre fazer as pazes consigo mesma. É sobre se perdoar, pois entendemos que toda culpa que colocamos em nós nunca nos pertenceu; é sobre nos libertar, pois descobrimos que as correntes que nos prendem nunca foram parte de nós; é sobre permitir-se, já que por toda a vida, inconscientemente, criamos muros que nos impediam de enxergar que a energia sexual é parte essencial da nossa vida.
Durante a sessão, eu me defrontei com esse turbilhão de sentimentos. E, ao passo que enxergava os meus medos, as minhas limitações, os meus nós, eu estava imensamente grata por estar ali, naquele momento, vivendo tudo aquillo.
Num instante, o choro tomava conta de mim - as lágrimas caiam e eu sabia que deveria deixá-las ir, porque com elas iam embora também todas as minhas amarras. Em outro instante, eu me sentia livre e completamente conectada com o mundo. Sentia que não precisava ter mais medo dele, do outro, do que estava fora de mim - simplesmente porque não existe "o outro", "o fora" - somos todos uma coisa só.
Meu corpo, liberto dos nós que impediam essa conexão, se conectava com uma força maior, una, harmônica, que formava em nós um grande círculo de amor. Não havia mais culpa ou medo, e sim, uma grande confiança em apenas ser, simplesmente ser.
Mulheres queridas, permitam esse gesto de amor consigo mesmas. Confiem em si mesmas, apesar de todos os dedos do mundo nos negarem o amor-próprio. Acreditem na força poderosa que existe em nosso corpo, embora queiram nos arranca-la a cada dia. A nossa libertação é a libertação das mulheres que vieram antes de nós e de todas aquelas que ainda virão. Que seja também a libertação daquelas que caminham ao nosso lado.

Lorena Carneiro

Experimentou Massagem Tântrica com Ragini em 27/03

Recebi um convite muito especial para vivenciar o curso de Massagem Tântrica da terapeuta Prem Ragini. Fiquei relutante, até que finalmente decidi deixar de lado, por um instante, as minhas dúvidas e tabus e me permiti experienciar esse momento. O grupo foi maravilhoso. Através das técnicas de respiração, da dança, das trocas e da meditação, criamos entre nós uma relação de cumplicidade e respeito pelas nossas emoções e intimidades.

Com o curso, pude perceber mais a minha vulnerabilidade (muitas vezes vista como fraqueza) como sendo minha força, pois ficou muito evidente como o meu verdadeiro poder está no sentir e deixar minhas emoções fluirem. Pra que isso acontecesse, foi bastante especial sentir que eu estava em um espaço de confiança e acolhimento. Em muitos momentos, a expressão de Ragini lembrava a de uma anciã, sábia e dedicada ao processo curativo. Guardarei com muito carinho o momento, em que eu sentia uma mistura de êxtase e medo, quando Prem após pedir licença, com muito cuidado e respeito, tocou simultaneamente minhas costas e peitoral, na altura do coração, e falou que eu deixasse vir o choro guardado de todas as vezes que eu disse “sim”, quando na verdade queria dizer não.

Nesse momento de clareza e emoção muito profunda, chorei. Um choro que veio acompanhado de um alívio muito grande, porque eu pude liberar emoções que guardava, há muito tempo, inclusive de mim mesma. E fui me liberando das memórias de dor das relações que tive, em que o cuidado e o respeito estiveram ausentes. Aos poucos, fui me sentindo acalentada por mim mesma e aliviada das lembranças de quando tive a expressão do meu corpo calada e também de quando eu dexei que o calassem. Nesse estado de consciência, respirando com toda força e de boca aberta, ri, gargalhei, chorei, urrei... Feliz por ter me permitido viver o amor por mim mesma. Um amor que é genuíno. Foi maravilhoso celebrar todo o poder do meu corpo, que vibrava por inteiro (algumas partes dele como os pés pareciam sair de uma espécie de dormência antiga). Sentia felicidade imensa por perceber que as mulheres e os homens que me estavam comigo no curso estavam felizes, em contato também com essa experiência de auto-amor. Eu só conseguia pensar naquele momento como o meu corpo é poderoso.

O nosso corpo é muito sábio e poderoso. Uma consciência que é do corpo, muito além da nossa mente. Mas sem saber acessá-lo, muitas vezes a nossa energia é entregue ao outro (ou roubada), sem cuidado e respeito.
Infelizmente, esse conhecimento nos é interditado por diversas crenças limitantes e pelas muitas tentativas de manipular e aprisionar nosso corpo. Por isso, vivendo em tempos tão difíceis, não quero me afastar dessa compreensão sobre a importância do cuidado comigo mesma, também como pressuposto do cuidado que desejo ter nas minhas relações com o outro.

E deixo um convite a quem vier a ler este depoimento, principalmente para nós mulheres que, de tantas maneiras, temos negado o direito de dispor do nosso próprio corpo e vivenciar toda força que há nele. Deixo aqui um convite para que não negligenciem o chamado do próprio corpo de desbloquear as emoções gravadas nele, seja através da respiração consciente, da meditação, da dança, da prática de diversos outros exercícios físicos, do canto e, também, através do grito. E, sendo possível, permitam-se viver essa experiência profunda, de (auto)amor no Tantra.

Lorena Aguiar

Experimentou Cursos de Massagem Tântrica com Ragini em 18/06

O Tantra é divino! É algo divino que desce sobre nós e nos transforma, faz desabrochar coisas que estavam adormecidas em nós. Parece que faz uma reviravolta em nossas células. Não tem como definir o Tantra. O Tantra é o Tantra.

Ragini, tou namorandoooo. O universo me enviou um homem maravilhoso. Foi bom demais e quero que o sexo fique melhor ainda. Vou sim, vou levar ele pra fazer Massagem Tântrica também e claro que vou continuar com minhas sessões.

A relação com o masculino, foi assim uma virada sensacional, nunca me senti tão cortejada, desejada nunca... Até uma pessoa que antes não olhava ou ligava pra mim, hoje me vê com outros olhos.

Como já lhe disse antes não sei que nome dar a essa transformação. 👏🏼🙏🏻
Obrigada, Ragini!

MM, após duas sessões

Experimentou Massagem Tântrica com Ragini em 12/09

A vivência com o tantra é também uma experiência de auto-descoberta, de encontro com uma parte de mim ainda escondida, velada. É um processo de cura, de expurgar as memórias dolorosas guardadas em nossos poros, de nos perdoarmos pelos momentos em que nós, mulheres, acreditamos que não somos merecedoras do amor, do afeto, do êxtase.

Mas somos, e como somos! O tantra faz emergir a deusa que existe em casa uma de nós. Durante a vivência, tantos nos momentos de meditação quanto de massagem, várias mulheres se revelaram dentro de mim: a cigana, livre e mágica; a deusa africana, ancestral e sábia; a loba, selvagem e voraz. Todas elas percorriam meu corpo, eram parte dele, faziam vibrar minha energia. É indescritível a sensação de me perceber tão vulnerável e, ao mesmo tempo, tão poderosa. Poderia dizer que o tantra nos permite isto: descobrir que a vulnerabilidade é o nosso lugar de força, coragem e poder.

Nos dias que se seguiram à vivência, quantas mudanças! Me sinto mais viva, desperta para o mundo - o de fora e o que há dentro de mim. Estou conectada com uma energia que me coloca sempre em movimento - comecei a correr, consigo estudar e escrever meu TCC com muito mais foco e fluidez - e me sinto mais presente onde quer que eu esteja.

Agradeço novamente à Prem Ragini pela oportunidade, pelo cuidado, pela sabedoria e inteireza com que faz seu trabalho. Gratidão por me conduzir a lugares tão mágicos e me permitir mergulhar nessa experiência sempre tão transformadora que o tantra é. Escrevo esse depoimento para que todas as mulheres se permitam viver isso sem medo. Vamos, mulheres, sigamos juntas e cada vez mais livres!

Lorena C. Nascimento

Experimentou Cursos de Massagem Tântrica com Ragini em 18/06

Ela entrou em minha sala para fazer uma massagem tântrica, um sonho acalentado desde que me conhecera, há alguns meses, sentou-se e disparou:

"- Gratidão por me atender. Desde o dia que vim conversar com você, voltei a dormir! Eu deito e durmo depois de seis meses de insônia! Falar contigo me libertou de uma culpa que pesava toneladas e estava me sufocando! Você não tem noção!

E tem mais, estou lendo um livro maravilhoso: "Mulheres que correm com lobos" e descobri que estou libertando minha mulher selvagem. Tenho uma loba dentro de mim e quando ela botar as quatro patas no chão, ninguém me segura! Ainda não nasceu homem que me prenda novamente!"

Confesso que lágrimas me acorreram aos olhos, tomada pela surpresa de suas palavras viscerais e pelo significado nas entrelinhas: a escuta de seus problemas, sem julgamento, e as palavras que eu lhe dissera, em uma consulta-diagnóstico de 30 minutos, haviam ajudado aquela mulher a se libertar da culpa, e seu corpo pudera repousar após noites insones.

Eu tinha uma vaga noção porém não sabia que uma simples conversa pudesse ser, desse modo, terapêutica para alguém.

Ela estava vivendo um romance clandestino e tomada por uma paixão grande, tivera forças para pedir a separação e terminar um casamento que há muito agonizava. Mas estava sofrendo: não contava com o apoio das amigas e colegas de trabalho que a censuravam por se envolver em um romance sem futuro, abandonando um marido bom, com quem tinha uma filha pequena. Contou-me que há muito se sentia presa, congelada em uma espécie de iceberg à deriva e só fazia trabalhar, cuidar da casa e da criança. Não tinha sonhos nem projetos ou desejos, e seu corpo era desprovido de sensações sexuais. Mas um reencontro inesperado, a tirara do torpor e, depois de angustiantes avanços e recuos, se lançara nos braços desse homem atraente e sedutor com quem havia começado a sentir coisas que nunca sentira antes. Era como um pássaro começando a voar ou uma bela adormecida despertada em seu castelo medieval, não por um príncipe, mas por um macho alfa "atraente feito o diabo". Agora, tinha desejos loucos, de saltar de paraquedas; ímpetos de montar a cavalo desembestada; de tomar banho de chuva; de rolar na grama feito gata no cio; ou deitar na rede o dia inteiro...

Quanto ao livro, como professora e amante da literatura, eu sempre tive consciência do poder transformador e da mágica encantatória das palavras. Poderia citar N filmes que retratam isso como "O Carteiro e o Poeta" e "Os homens querem paz". Porém ouvir de uma mulher, ali na sessão, o renascimento que estava lhe acontecendo pelo poder da palavra era meio mágico também.

Sua massagem tântrica foi linda; ouvir suas risadas, seus gemidos e ver aquele corpo selvagem fremir, soerguer-se nas alturas e suas pernas se abrirem para dar nascimento a outra versão de si mesma foi uma grande emoção .

Depois da sessão, a loba, recém saída do cativeiro, foi-se embora "sacudindo o pêlo marrom e tremendo ao vento ateu"...

Prem Ragini

Experimentou Massagem Tântrica com Ragini em 12/09

Envie um :)

Inicie um atendimento

Preencha a Ficha de Anamnese básica para receber mais informações:

Você manifestou recentemente alguma destas condições?

Como entrar em contato com você?