Chegando ao Nirvana

Chegando ao Nirvana

publicado por Nana Goes

Revista Sexy

em 02/ago/2014

Não me masturbo mais, pois o prazer que obtenho com esse movimento mecânico se tornou miserável. O orgasmo que consigo agora é mais intenso, não é só físico, me dá a percepção de um novo mundo. Tenho ereções mais firmes e transo e recebo sexo oral sem ejacular durante o tempo que eu quiser. Depois disso, ainda chego a ter até 20 orgasmos secos.”

O relato do empresário paulistano de 38 anos, que prefere ser identificado apenas como Alexandre, parece mais uma daquelas vantagens sexuais que você está cansado de ouvir de seus amigos no bar. Mas ele jura que não exagerou nada (20 orgasmos? Secos?) e que há um ano era apenas mais um reles mortal, desses que gozam uma vez e só se recuperam no dia seguinte (não é o seu caso, claro...). O segredo dessa transformação? Uma massagem tântrica no lingam.

PEGA NA MINHA E FAZ TANTRA

QUE TAL GOZAR 20 VEZES SEM EJACULAR? NOSSA REPÓRTER DESCOBRIU O SEGREDO DO SUPERORGASMO MASCULINO

PALAVRA SÂNCRITA TRADUZIDA COMO “ESPADA DE LUZ”, lingam, em bom português significa... lá mesmo onde você está imaginando. Sim, a promessa é de que a sua espada iluminada será habilmente manuseada, com o objetivo de “despertar regiões sensoriais adormecidas”, “proporcionar múltiplos e inesquecíveis orgasmos” e “garantir maior controle da sua energia sexual”, explica a terapeuta Samvara, do Centro Metamorfose, em São Paulo. E não, a coisa não acaba em sacanagem. A recomendação para atingir esse nirvana sexual é justamente o contrário: dissociar-se da idéia do sexo e de qualquer expectativa nesse sentido. “As pessoas confundem, pois, ao trabalharmos a energia sexual, ela fica potencializada no corpo, aumentando o tesão”, dia a terapeuta Ma Antar Karima, criadora das massagens aplicadas no Spaço Tantra, em São Paulo.

As técnicas variam de acordo com o lugar que oferece a massagem, mas o objetivo de todas elas é o mesmo: promover o controle da energia sexual – e transar com a massagista, convenhamos, não seria um bom exemplo desse controle. Funciona assim: o cliente pode escolher a profissional que irá dar um trato no seu lingam. Mas saiba que ela ficará devidamente vestida o tempo todo (algumas usam luvas; outras, não). Quem tira toda a roupa é só o cliente, que fica deitado em um colchonete no chão, em uma sala à luz de velas e com som ambiente, sendo apalpado. A sessão começa com toques suaves pelo corpo todo, que depois se tornam mais profundos e descem para as coxas e a pélvis, até chegar aonde realmente interessa. E lá ficar de uma hora e meia a duas horas. Nada a ver com aquela punhetinha das casas de “massagem for men”. Não é masturbação. Os movimentos são parecidos com os da reflexologia (pressão em determinados pontos). E, ainda que o objetivo não seja provocar a ejaculação, a não ser que você seja um mestre zen-budista, ela muito provavelmente irá ocorrer. Mas não tem problema – e aí é que está a graça do negócio: a brincadeira não para por causa disso. Você ainda pode ter os tais orgasmos secos (sem a eliminação de líquidos orgânicos), juram os especialistas em lingam.

Eles explicam que, apesar de os homens possuírem uma reserva de espermatozóides suficientes para ejacular até quatro vezes, além de reserva de líquido seminal (sem espermatozóides) para mais oito ejaculações, em uma única relação sexual, a verdade é que – e não adianta negar – a maioria dos homens mal consegue ejacular duas vezes.

Mas os orgasmos secos, ao contrário, seriam ilimitados. De acordo com a filosofia tântrica, gozar sem ejacular é uma questão de condicionamento. Basta receber os estímulos adequados (a tal massagem é um deles) para que apareçam seus primeiros sinais, que são, segundo a descrição feita pelo terapeuta Deva Nishok, que desenvolveu as técnicas realizadas no Centro Metamorfose, “espasmos musculares involuntários e ascendentes, acompanhados de fluxos energéticos que sobem em direção ao topo da cabeça. Esses espasmos se intensificam tanto que são capazes de levantar o corpo do chão, produzindo um efeito emocional forte e intenso, de louco e ardente prazer. Esses orgasmos secos, não ejaculatórios e múltiplos, vão se repetindo indefinidamente enquanto durarem os estímulos e, muitas vezes, permanecem por algum tempo, mesmo após cessarem os estímulos no corpo”.

Parece bom? Pois é possível ter um prazer ainda mais, digamos, transcedental, com a estimulação do ponto G masculino. Apostamos que você nem sabia que tinha um. E muito menos que ele está localizado... na próstata. Assustou? Calma, elas usam lubrificante. A terapeuta Karima explica que essa massagem é feita em duas etapas: a mais incômoda é a primeira, na qual é feito o bombeamento manual para esvaziar o acúmulo de líquidos da próstata. Depois desse “pequeno desconforto”, garante, virá um intenso e inesquecível prazer. Ah, sim, essa massagem não dispensa as luvas.

Os especialistas na técnica garantem que quem experimenta uma vez acaba voltando. É o caso de Alexandre (aquele dos 20 orgasmos secos). O empresário pegou tanto gosto pela coisa que não via mais graça no sexo comum. Matriculou sua parceira em um curso de massagem lingam e foi aprender a fazer o equivalente feminino: a yoni massagem (“portão da vida”, em sânscrito, ou qualquer outro nome pelo qual você prefira chamá-la em português), que também promete orgasmos múltiplos, transcendentais e inesquecíveis para a mulher. O casal feliz jura que, somados, gozam umas 30 vezes por transa. Se todas essas promessas são reais mesmo ou não passam de uma conversa de bar mais elaborada, só colocando seu lingam na reta pra saber. Vai lá.

CHEGANDO AO NIRVANA

Foram longos cinco minutos de “aquecimento” (nada mau: as mãos da massagista deslizando pelo meu corpo inteiro, com a ponta dos dedos), até que, finalmente, meu pênis foi envolvido pelas duas mãos (com luvas e besuntadas de óleo de uva) da habilidosa profissional. Quase que imediatamente esqueci todo o constrangimento de estar deitado pelado em cima de um futon vermelho, ouvindo música lounge indiana, enquanto esperava por um orgasmo. Não sei exatamente quanto tempo levou, mas ele veio bem rápido. A sensação é incrível. Não sei o que ela faz exatamente com as mãos, mas os movimentos não são como os de uma masturbação. Ela pega o pênis com um toque delicado, mas firme, e começa a movê-lo para todos os lados. Às vezes, a sensação é de estar sendo chupado, outras vezes eu perdia a noção da localização exata do meu pênis. Apesar do constrangimento inicial, gozei e ejaculei muito rápido (gritando e gemendo na frente da massagista). “Isso é normal. Continue respirando, feche os olhos e se concentre na sua energia sexual”, me disse ela. Para minha surpresa, em alguns minutos ele ficou em pé de novo. E aí veio o tal orgasmo seco. Nem sabia que era possível gozar sem ejacular, mas agora sei que é, e é muito bom. A sensação é de eletricidade percorrendo o corpo inteiro, e seu cérebro se esvazia. O prazer é indescritível (a massagista me disse que a sensação é como a do orgasmo feminino. As mulheres são realmente sortudas!). Tive três orgasmos secos e mais um ejaculatório, melhores do que qualquer relação sexual. Mal acabara a sessão de 1h30, e já marquei a próxima.

Depoimento de Eloi Gomes, de 40 anos, publicitário do Rio de Janeiro.

– Transcrito por Deva Thirak

Sexy Pag1
Sexy Pag2
Sexy Pag3
Sexy Pag4
Sexy Pag5

Encontre terapeutas, atividades e espaços de Tantra próximos à você:



Outros artigos interessantes para você

O que precisamos entender a respeito da sexualidade

Como a terapêutica tântrica pode ajudar?

E como beber desta fonte?

Entrevista com Deva Nishok

O que é Tantra?

Como a Terapêutica Tântrica pode ajudar?

Como a Terapêutica Tântrica pode ajudar?

O poder da Sensitive Massagem - parte I

O que é Tantra?

Como a Terapêutica Tântrica pode ajudar?

Como a Terapêutica Tântrica pode ajudar?

TODOS

Quer receber conteúdo exclusivo no conforto do seu email?