O Que Eu Quero Dizer Quando Digo Apenas Liberdade?

O Que Eu Quero Dizer Quando Digo Apenas Liberdade?

publicado por Osho


A liberdade pode ser de três tipos, e esses três tipos tem que ser bem entendidos. A primeira é liberdade de, a segunda é liberdade para e a terceira é somente liberdade – nem de nem para. A primeira, liberdade de, é uma reação. É orientada pelo passado, você está lutando contra o passado, você quer se livrar dele, você está obsecado com isso.

A psicoanálise tenta dar a você essa liberdade, liberdade de – dos traumas passados, feridas da infância. A terapia primal é fundamentada basicamente no passado. Você tem que ir para trás para libertar-se do passado, você tem que chegar ao primeiro grito primal, então você estará livre. Liberdade significa – para a terapia primal, para a psicanálise e para outras terapias - que o passado tem que ser descartado. Você tem que lutar com ele, você tem que gerenciar de alguma forma, desembaraçar-se do passado, então você estará livre.

No que se refere a liberdade, Karl Marx e Sigmund Freud não são opostos entre si, ambos estão de acordo. Karl Marx diz que a pessoa tem que tornar-se livre do passado, de todas as estruturas sociais passadas, estruturas econômicas. Seu enfoque é político; o enfoque de Freud é psicológico, porém ambos estão enraizados na idéia da liberdade de.

Todas as reformas políticas são reações – e quando você reage você nunca está livre. Isto deve ser entendido. Isto lhe dá somente uma aparência de liberdade, mas nunca a verdadeira liberdade. A partir da reação, a liberdade total não é possível. A partir da reação, a verdadeira liberdade não é possível. E somente a liberdade total é a verdadeira liberdade.

Você pode ir contra o passado, mas apenas por estar contra ele você é capturado pela porta traseira. É por isso que tem acontecido repetidas vezes que, seja lá com quem você esteja lutando, você se torna como ele. Eleja seus inimigos com muito cuidado, porque você vai ser determinado por eles! Lutando com eles, obviamente você terá que aprender suas estratégias. Você terá que aprender suas táticas, você terá que aprender o caminho deles. Devagar, devagar, os inimigos se tornam muito parecidos – mais parecidos do que amigos...

A segunda idéia é liberdade para, que é orientada para o futuro. A primeira é política, a segunda é mais poética, visionária, utópica. Muitas pessoas tem experimentado isso também, mas isso também não é possível, porque orientado para o futuro você não pode viver no presente – e você tem que viver no presente. Você não vive no passado, você não vive no futuro, você tem que viver no presente.

Visionários só imaginam Eles imaginaram utopias lindas, mas essas utopias nunca se tornam realidade, não podem se tornar realidade.

Se você reagir ao passado, você é determinado pelo passado. Se você esquece o passado e olha para o futuro, ainda assim você está sendo guiado pelo passado, só que você não está consciente dele. Olhando para o futuro você sonha lindos sonhos, mas eles não podem mudar a realidade. A realidade permanece a mesma, sonhos são muito ineficazes, impotentes.

A primeira, liberdade de, é uma reação. A segunda, liberdade para, é revolução. A terceira, somente liberdade, é rebelião. Está orientada para o presente. A primeira é política, a segunda é poética , a terceira é mística, religiosa.

O que eu quero dizer quando digo apenas liberdade? Nem a favor nem contra, sem passado, sem futuro, somente estar aquiagora, somente vivendo momento a momento sem ideologia, sem utopia.

O sannyasin verdadeiro, o místico verdadeiro, não é contra o passado , e não está para o futuro. Ele está tão totalmente absorvido pelo presente que ele não tem tempo nem energia, para passado e futuro. É assim que nasce o rebelde.

O rebelde é o fenômeno mais bonito do mundo. Buddha é um rebelde, Jesus também é, Atisha é um rebelde, Kabir também é. Eles são rebeldes. Você vai interpretá-los mal se você pensa que eles foram revolucionários; eles não eram. Nem eram reacionários. Sua orientação é totalmente diferente, sua orientação é agora, aqui. Eles não vivem por nenhum ideal, e eles não vivem contra nenhum ideal. Eles não tem nenhuma idéia, não existe ideologia em sua consciência.

A mera pureza deste momento – eles a vivem, eles a curtem, eles a cantam, eles a dançam. E quando o próximo momento chega, eles vivem o próximo momento com o mesmo júbilo, com a mesma alegria. Eles se movem momento a momento, eles não planejam nada adiantado.

Quer receber as newsletters?