Você sente vergonha de quê?

Você sente vergonha de quê?

publicado por Deva Harischandra Jéssica

“Nossa! Não tem nem vergonha na cara!”, a essa expressão tão corriqueira entre nós, eu digo: “Quem me dera... É um objetivo pra mim! Quero ser bem sem vergonha!”

Mas o que é a vergonha?

Vergonha é produto cultural. É uma invenção humana de controle social. Só serve pra gerar culpa na gente, ou seja, nada positivo.

Você se recorda quando entrou em contato com os sentimentos de vergonha e culpa na sua vida? Na minha, eles estiveram presentes desde muito cedo, devido à minha criação. E desconstruir as ideias, padrões e crenças acerca deles, é um exercício diário.

Vergonha de quê?


São tantas as coisas das quais aprendemos a sentir vergonha. E se a gente parar pra pensar que isso tudo foi criado e a gente tomou, recebeu e acolheu como verdade absoluta...

Eu proponho uma avaliação das suas vergonhas e culpas. Observe-as, perceba que sensações trazem a você, pergunte de onde elas vêm, a quem pertencem... E devolva-as. Não são suas. Não carregue-as consigo.

Olhe para você com profundo respeito, foque na beleza que é ser você, um ser único, parte de toda a existência, com os seus talentos e luz próprios, que definitivamente não precisa carregar esses pesos inventados para fins de controle social.

Proponho também que observe o quanto tem contribuído para que outras pessoas sintam vergonha e culpa. Faça essa busca interna e se permita, sem vergonha de si mesmo(a) e culpa, enxergar as suas atitudes nesse sentido.

Avalie-as. Que tipo de sensações reproduzir esses comportamentos te traz? Uma ideia de superioridade talvez? De ser correto nessa sociedade? De ser digno do amor de Deus?

Será que julgar e condenar as pessoas demonstra minhas virtudes ou o quanto sou fraco(a) e necessito da aprovação dos outros? Diminuir o outro e fazer com que se envergonhe satisfaz o quê dentro de mim?

Acho que vale muito fazer essa reflexão. E a cada oportunidade que perceber que está prestes a contribuir para que alguém sinta vergonha ou culpa, repense e não o faça. Nada terá de contribuição nisso.

Ao invés disso, será que seríamos capazes de ensinar com amor e com exemplo, ao invés de duras críticas e julgamentos? Respeitando as pessoas como são e não querendo encaixotá-las em um modelo a seguir?

Eu desejo uma excelente reflexão pra cada um de nós e que a gente possa se libertar de vergonhas e culpas limitantes, torturantes, repressoras e que nada têm a nos acrescentar na vida.


Deva Harischandra Jéssica
Sou terapeuta do AMOR, trabalho tocando o corpo e a alma das pessoas. Acredito no trabalho de desenvolvimento do ser humano em sua integralidade com o método Deva Nishok. É um trabalho que transforma vidas.Trabalho com a massagem tântrica, nas seguintes modalidades:* Sensitive Massagem* Êxtase [...]

Veja o perfil completo

Quer receber as newsletters?