Caixas Sociais

Caixas Sociais

publicado por Deva Harischandra Jéssica

Você já parou pra pensar em quantas “caixas sociais” se colocou ao longo da vida? Ensinado por seus pais, sua família, seus professores, sua cultura, seus grupos sociais...

Consegue perceber e distinguir o que faz porque realmente tem algum sentido pra você, do que faz para agradar a outras pessoas, para se sentir aceito, amado, aprovado, dentro do padrão dito normal e aceitável?

É muito louco olhar para a gente mesmo e perceber que a gente já não sabe o que é, que passou tanto tempo se enquadrando em modelos socialmente aceitáveis e esperados pelos outros que a gente seguisse, que a gente acaba se perdendo em meio a tantos ensinamentos.

Criamos um ego, várias máscaras, vários padrões a que chamamos de personalidade e por vezes nos orgulhamos deles, porque aos olhos da sociedade representamos um exemplo a ser seguido de acordo com os padrões impostos.

Eu adoro a música “Eu não sei na verdade quem eu sou” da banda “O Teatro Mágico”. Em um trecho dela, diz assim:

“Eu não sei na verdade quem eu sou
Já tentei calcular o meu valor
Mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou
Por que a gente é desse jeito
Criando conceito pra tudo que restou?

Meninas são bruxas e fadas
Palhaço é um homem todo pintado de piadas
Céu azul é o telhado do mundo inteiro
Sonho é uma coisa que fica dentro do meu travesseiro

Mas eu não sei na verdade quem eu sou
Já tentei calcular o meu valor
Mas sempre encontro o sorriso e o meu paraíso é onde estou
Eu não sei na verdade quem eu sou”

E é isso. A gente é ensinado a ser tanta coisa que depois fica sem saber quem é de verdade.

Há tantas coisas legais em conseguir se desprender desses padrões. Sei que ainda tenho muito a desconstruir, mas há algumas coisas pelas quais já sou muito grata em conseguir enxergar com outros olhos:

Há diversos padrões, modelos, exemplos a serem seguidos ou não. Faz muita diferença na vida a gente conseguir refletir sobre eles e questioná-los. Perceber se fazem sentido ou se são somente caixas sociais, que nem percebemos como, mas acabamos ficando presos nelas.

Há outras inúmeras questões que devem ser avaliadas. Que a gente possa se descobrir, abrir os canais de conexão com a nossa própria essência e se libertar de todas as caixas sociais que não nos representam.

Pense, reflita, reveja, não se permita mais entrar em caixas que te aprisionam. Não importa o que tenhamos vivido em nossa infância e em nossa história. Agora, como adultos, somos capazes de assumirmos as rédeas da nossa vida e sairmos dos padrões que não nos fazem sentido. Sejamos livres, felizes, conscientes, amorosos, empáticos, tolerantes e ternos. Sejamos nós mesmos.

Deva Harischandra Jéssica
Sou terapeuta do AMOR, trabalho tocando o corpo e a alma das pessoas. Acredito no trabalho de desenvolvimento do ser humano em sua integralidade com o método Deva Nishok. É um trabalho que transforma vidas.Trabalho com a massagem tântrica, nas seguintes modalidades:* Sensitive Massagem* Êxtase [...]

Veja o perfil completo

Quer receber as newsletters?