A ferida da Rejeição

A ferida da Rejeição

publicado por Prem Kajati

Algumas pessoas não reagem bem quando sofrem uma rejeição. Aliás acho que poucas pessoas lidam bem com a rejeição, mas algumas chegam a reagir com agressão verbal ou física que deixam sequelas na outra pessoa.

Mas é pouco provável que a rejeição tenha sido provocada pela pessoa que não correspondeu às nossas expectativas. Releia a frase anterior. "Nossas expectativas." Tiramos a culpa do outro porque pode ser uma ferida que você sempre vai reviver até ter a consciência do por que ela dói em você. Toda relação tem inicio, meio e fim, mas a ferida da rejeição pode ser de longa data e profunda.

Sempre que tememos uma possível rejeição tendemos a fugir de determinadas situações. Consegue perceber quantas vezes já fugiu de um lugar? De uma pessoa? De uma situação? E o que sentiu minutos antes de fugir? Ou por que a fuga é um recurso que sempre utiliza?

Responder as perguntas é desconfortável porque convida a pessoa a uma investigação interna. E não é todo mundo que vai encarar essa viagem. É preciso se preparar, estar preparados para as respostas e para executar as soluções.

Às vezes no identificamos com alguém que foi rejeitado, tomamos as dores e sem saber podemos estar alimentando expectativas na pessoa e alimentando uma ilusão que vai se desfazer na próxima desilusão. É aqui que talvez você precise de ajuda, pra encarar de frente por que essa dor é tão incomoda.

Existe uma diferença entre sentir a dor da perda e sentir a dor de ser rejeitado. A dor da perda dói porque planejamos sonhos com uma outra pessoa. Os caminhos da vida encarregam de nos levar por outros caminhos e a separação às vezes se desenha de forma inevitável. Já a dor da rejeição nem sempre temos uma relação com a pessoa. Imaginamos um futuro ou imaginamos que a pessoa é a chave da nossa solidão. Quando ouvimos um não deveríamos seguir adiante, mas não conseguimos.

A história da dor da rejeição pode vir antes do nascimento. Uma criança que não sentiu o quanto foi desejada ou amada pelos pais em algum momento do seu desenvolvimento pode vir a reviver constantemente essa ferida. Pode evitar sair em fotografias. Pode evitar ser vista em algumas situações sociais. Como eu disse pode porque é preciso investigar antes de qualquer conclusão precipitada. Também não quero gerar conflitos e culpados. Por que perdoar os pais é um capitulo à parte nessa história. Nessa situação ficar na esfera da culpa só nos levará a repetir o ciclo. O intuito é como quebrar esse ciclo de rejeição?

Quando duvidamos do nosso direito a existência vamos reviver a ferida da rejeição atraindo situações inconscientes que nos deixarão frustrados e reforçar uma ideia de que não merecemos porque somos um nada.

Se a ferida é de longa data. A solução é de longo prazo e inclui experimentar diversas propostas: psicólogos, terapias holisticas, massagens...

A ferida da rejeição percebida como ferida precisa ser tratada até que um dia seja possível olhar pra ela como uma vaga lembrança.

Dizem que pra curar uma ferida é preciso parar de falar com ela. Pode ser, mas pra saber se uma ferida sarou: coloque o dedo e veja se dói.

[ Imagens: Formação em Renascimento, julho, Instituto Metamorfose, 2018 ]

Prem Kajati
O toque só pode ser curativo quando seu corpo é respeitado durante o processo.Terapeuta Tântrica, Corporal Vibracional e Renascedora. Ministra aulas de Hatha Yoga e há 5 anos dedica-se ao estudo teórico e prático das práticas corporais (teatro e yoga). Atua em todas as formas [...]

Veja o perfil completo

Quer receber as newsletters?