Vaginismo: esse cenário pode comprometer seu prazer

Vaginismo: esse cenário pode comprometer seu prazer

publicado por Prem Hamido (Daniel)

tags: Tantra, Tantra para Mulheres

O vaginismo é uma disfunção sexual que gera dor na hora da relação sexual. Trata-se de um problema que afeta em torno de 5% da população feminina. Quando se fala de uma população de dimensões continentais como o Brasil, estamos falando de um universo de 10 milhões de mulheres pelo menos.

Causado muitas vezes pelo medo, cenários de tensão e estresse excessivo, o vaginismo é uma disfunção na qual o espasmo muscular involuntário impede a penetração vaginal. Isso geralmente resulta em dor e desconforto para mulheres no momento do ato sexual.

Muitas vezes começa quando a relação sexual é tentada pela primeira vez, sendo causa subjacente um medo (irreal) de que a penetração possa machucar. Pode tornar doloroso, difícil ou praticamente impossível ter relações sexuais, fazer um exame ginecológico e inserir um absorvente interno.

Sem tratamento, pode levar ao sofrimento físico, angustia e decepção afetiva na relação a dois. Existem casos extremos que o companheiro acabou por se separar da esposa ou companheira porque ela não conseguia fazer sexo com ele por muitos e muitos meses. Afinal de contas, quem quer sentir dor não mesmo?

Quando uma mulher tenta inserir um objeto, como um absorvente interno ou mesmo o pênis na vagina, ocorre uma contração involuntária dos músculos do assoalho pélvico. Isso leva a espasmos musculares generalizados e muita dor. Ou seja, é uma questão psicossomática causado por um agente psicológico-emocional.

Sintomas do Vaginismo

Os sintomas variam entre os indivíduos. Eles podem ser dispareunia (relação sexual dolorosa), com sensação de aperto e dor que pode estar queimando ou ardendo. Podem ser também dificuldade para penetração durante o sexo.

Podem ser também dor sexual a longo prazo com ou sem causa conhecida. E qualquer objeto ou implemento que seja inserido no canal vaginal pode ser um obstáculo como um absorvente interno ou um exame ginecológico. A dor pode variar de leve a grave na natureza e de desconforto a sensação de queimação.

O vaginismo não impede que as pessoas fiquem sexualmente excitadas, mas causam frustrações por impedir de relações sexuais serem desprazerosas, incompletas ou insatisfeitas de modo que tentam evitar o sexo.

Causas

O vaginismo é uma disfunção que pode ser causada por estressores físicos, estressores emocionais ou ambos. Pode se tornar antecipatório, de modo que os sinais aparecem porque a pessoa espera que isso aconteça.

Isso gera gatilhos emocionais que incluem medo, por exemplo, de gravidez, ansiedade, sobre o desempenho ou por culpa e principalmente problemas de relacionamento, por exemplo, ter um parceiro abusivo ou sentimentos de vulnerabilidade.

Outras situações possíveis podem ter sido cenários de abuso sexual na infância ou adolescência ou estupro, ficando a memória corporal altamente impactada no genital.

Problemas sexuais podem afetar homens e mulheres. Eles não são culpa de ninguém, e eles não são nada para se envergonhar. Na maioria dos casos.

Tratamento

O tratamento recomendado é buscar a ajuda e orientação de um profissional adequado. Recomenda-se um tratamento multidisciplinar com um sexólogo, um fisioterapeuta especializado em assoalho pélvico e um terapeuta tântrico sério e confiável.

Cada um em sua área fará as devidas intervenções adequadas, sendo o sexólogo a trazer a consciência mental, emocional, o fisioterapeuta a intervenção física e o terapeuta tântrico a intervenção emocional e ressignificação apropriada das memórias traumáticas.

Busque um profissional qualificado que te ajude nessa ressignificação e ajude sua alegria de viver retornar, sua vida afetiva aflorar e seu sorriso voltar, converse conosco.



Prem Hamido (Daniel)
Terapeuta Tântrico formado pela Comunna Metamorfose, Instrutor de Delerium Privativa - Treinamento Multiorgástico para Casais com as (Sensitive Massagem, Êxtase Total Massagem, Yoni Massagem e Lingam Massagem, G-Spot e P-Spot Massagem), Atende homens, mulheres e casais (heterossexuais e LGBT's). Trabalha há 14 anos com [...]

Veja o perfil completo

Quer receber as newsletters?