Garjan (Alex)

A sexualidade humana é primordial e influencia todos os aspectos da existência, sendo fundamental para o equilíbrio do ser
Terapeuta Tântrico

Terapeuta Tântrico formado pelo Instituto Comunna Metamorfose e certificado em todas as modalidades do Método Deva Nishok de Terapêutica Tântrica (Sensitive Massagem, Êxtase Total Massagem, Yoni e Lingam Massagem, G-Spot e P-Spot Massagem).

Participou do Programa Flowing e residiu na Comunna Metamorfose por 6 meses, vivendo um processo contínuo de aperfeiçoamento, o que lhe possibilitou uma intensa experiência com meditações biodinâmicas e massagens.

No processo terapêutico são trabalhadas questões emocionais, formas saudáveis de se relacionar, ressignificação da visão de sexualidade e mundo. O processo é conduzido pela abordagem tântrica das questões trazidas pelo interagente. Na sessões individuais e nos grupos são utilizadas ferramentas terapêuticas corporais, como meditações ativas, práticas respiratórias e experiências sensoriais obtidas através da massagem tântrica. Em conjunto, todas práticas proporcionam estados alterados de percepção e consciência, que potencializam o processo de autoconhecimento, dissolvendo bloqueios e traumas emocionais. Dificuldades de relacionamento, na vida sexual, depressão e ansiedade são quadros clínicos contemplados com significativa melhora. Por ser uma terapia corporal, o processo acontece de forma rápida e expressiva.  

"Em quase 6 anos atuando como terapeuta tântrico, percebi a eficiência do método e tive oportunidade de conhecer pouco mais da essência do ser. Toda a trajetória foi marcada por transformações pessoais e questionamentos sobre os padrões de comportamento que se manifestavam através de mim. Hoje, com toda essa experiência adquirida nas centenas de atendimentos, nas formas de leitura corporal e análise do comportamento humano, sigo proporcionando de forma vivencial e clara, oportunidades profundas de desenvolvimento pessoal." •Alex Garjan•

Professores e Vivências

Atuação

Depoimentos sobre o trabalho de Garjan

"Sou casada e, antes de conhecer o tantra, tinha uma vida sexual que eu considerava normal e até melhor que a média. Sexo prazeroso uma ou duas vezes por semana, orgasmo às vezes com meu marido, às vezes sozinha. Cheguei na massagem por curiosidade. A ideia de unir sexualidade e espiritualidade me atraiu muito. Li um artigo em algum lugar, entrei no site e deixei a intuição me guiar na escolha do terapeuta. A idéia de ser tocada por uma mulher não me agradou a princípio. Escolhi um homem, Dhyan Garjan, que me inspirou credibilidade e tranquilidade. O contato foi cordial e profissional.No dia marcado, pensei em desistir e cheguei a dar várias voltas no quarteirão antes de criar coragem para entrar. O centro é agradável e acolhedor. O terapeuta foi gentil e educado. Ele me conduziu a uma sala, me fez algumas perguntas, me explicou sobre a massagem, e preparou o ambiente enquanto eu me despia no banheiro. Em momento algum me senti constrangida ou receosa. Eu não estava ali para viver uma fantasia sexual, mas para explorar um mundo que eu não conhecia. O ambiente e a condução do processo pelo terapeuta reforçam essa proposta. A massagem segue uma sequência que já foi explicada em outros depoimentos. Começa com a Sensitive: toque muito suave por todo o corpo que relaxa e provoca arrepios de prazer ao mesmo tempo, e evolui para a Yoni e g-spot: massagem mais vigorosa nos genitais e em torno deles. O terapeuta alterna movimentos com as mãos e vibradores estimulando toda região genital. A descoberta do ponto G foi uma novidade pra mim. Sim, ele existe e é uma fonte incrível de prazer.As sensações foram tão intensas, novas e inesperadas que fica até difícil descrever. Palavra nenhuma faria justiça à experiência. Senti prazer em partes do corpo não explorava há muito tempo: em volta da cintura, nas axilas, nos lábios. A resposta do meu corpo ao toque foi incrível. Tive orgasmos múltiplos e experimentei uma sensação de estar suspensa no tempo e no espaço. Os orgasmos foram completamente diferentes dos que eu já tinha sentido até então, muito mais longos, intensos e sentidos não só na vagina mas no corpo inteiro. Sabe aquela história que diz que só usamos 10% da capacidade do nosso cérebro? Pois com a massagem você descobre que só usa 10% da sua capacidade de sentir prazer. Encantador e apavorante ao mesmo tempo, certo? E a minha postura arrogante de mulher bem resolvida e sexualmente satisfeita foi sustituída por um sentimento de humildade total e uma curiosidade infantil. Acabei fechando um pacote de seis massagens e saí de lá atordoada com a vivência e as possibilidades de auto conhecimento que eu tinha encontrado quase que por acaso. Eu ainda não sabia, mas a parte mais interessante do pacote é que, além das massagens, ele te dá acesso gratuito aos outros trabalhos realizados no Centro, que passei a frequentar regularmente.As experiências seguintes foram tão intensas e variadas que merecem um outro depoimento. Com as massagens, encontros de meditação, de respiração circular, rodas de mulheres, e movimentações tântricas, fui me descobrindo e despertando sentimentos que eu nem sabia que existiam. Os impactos se espalharam por todas as áreas da minha vida. Meu marido, que à princípio achou a ideia estranha e teve ciúmes, acabou entrando na onda e fazendo uma massagem também. Nosso convívio e vida sexual mudaram drasticamente e isso é só o começo. Nossa participação no próximo workshop para casais na Comunna Metamorfose já está marcada. O relacionamento com os filhos melhorou muito, algumas amizades se fortaleceram, outras deixaram de fazer sentido. Com ajuda do terapeuta, eu confrontei minha dificuldade de aceitar o meu corpo e me amar incondicionalmente, de abrir mão do controle sobre as emoções e situações, de confiar no meu parceiro e me entregar de verdade ao momento. O auto julgamento, as vergonhas, culpas, medos e ansiedades foram caindo por terra um por um. O processo tem sido longo, às vezes doloroso e muito transformador. Enquanto à minha volta a crise de meia-idade e os antidepressivos imperam, eu me pego na adolescência da minha vida sexual. Aos 42 anos de idade!Além de conduzir as massagens e me guiar pelos outros trabalhos, o Garjan ainda demonstrou uma paciência infinita ao aturar e responder meus questionamentos sem fim. Minha gratidão volta na mesma proporção. Recomendo demais o seu trabalho e lhe desejo todo o sucesso do mundo em seus empreendimentos futuros. Aos que ainda não experimentaram fica o incentivo e um alerta: é um caminho sem volta."

Anônimo

Experimentou Massagem Tântrica com Garjan em 16/09

"Eu me aproximei do Metamorfose porque precisava de mudanças e achava, não sei exatamente porque, que seria o caminho a trilhar. Além disso, tinha curiosidade conhecer de uma coisa de que já tinha ouvido falar muito, mas que de fato não conhecia: o Tantra.Eu fui sem saber exatamente o que esperar, curiosa e nervosa. Queria trabalhar algumas insatisfações sexuais cuja origem não me era clara e que há muito tempo vinham me incomodando.Na primeira sessão meu terapeuta tântrico, Dhyan Garjan, me explicou como funcionava a massagem tântrica; falou sobre prazer e orgasmos mais intensos, ter acesso a outros níveis de consciência e muitas outras coisas das quais Eu só conseguia entender as palavras, sem ter a real dimensão do seu significado no contexto tântrico.Não vou mentir, ficar pelada na frente de uma pessoa desconhecida foi muito constrangedor para mim, no entanto o trato, respeito, naturalidade e responsabilidade com que o terapeuta me guiou ao longo do processo fez com que me sentisse segura e com que ficasse mais à vontade para me permitir vivenciar a fundo a massagem.Logo na primeira sessão senti muito mais prazer do que tinha sentido em toda minha vida, conheci a ejaculação feminina, que nem sabia que existia. Meu corpo inteiro vibrou em êxtase, vibrei muito! Várias sessões já se passaram e a cada massagem as sensações se intensificam e a conexão com meu corpo e meu Eu é mais profunda.Com ajuda e orientação do meu Terapeuta comecei a explorar os porquês das travas e insatisfações sexuais que me levaram até o Metamorfose. Durante as massagens tenho uma percepção completa de mim e, após as massagens é como se abrisse um canal de comunicação direto com partes de mim que por muito tempo estiveram fechadas. Estou aprendendo a desassociar medo, vergonha e dor do sexo intra-vaginal (per se), associando-o com: prazer, satisfação, diversão, ... coisas boas com as que sempre devia estar relacionado. É um trabalho de reprogramação da memória corporal.A terapêutica tântrica tem me permitido trabalhar esses aspectos da minha vida, produto de traumas e temores do passado, que nunca antes me permiti explorar. Mas não é só a terapêutica tântrica, tem todo o conjunto de serviços oferecidos pelas Unidades do Centro Metamorfose que têm me dado a energia para sair da inercia, para sentir e para viver plenamente. As meditações, massagens, cursos e workshops são todas ferramentas que nos ajudam a nos conectarmos com nossa essência. Que nos permitem enxergar o que somos, onde estamos; enxergar se somos felizes, o que nos faz felizes; enxergar o que é importante em nossa vida. São ferramentas que nos empoderam, fornecendo-os o necessário para sermos nós mesmos, para sermos felizes."

Anônimo

Experimentou Massagem Tântrica com Garjan em 16/09

"Nesse relato, quero dividir com as mulheres como foi minha primeira experiência com a massagem tântrica, tema rodeado de poucas informações e de tabus. Há meses venho pesquisando o tema e criando coragem para fazer uma massagem. Li sobre o tantra pela primeira vez quando pesquisei sobre a dificuldade das mulheres em atingir orgasmos. Eu nunca tinha tido um orgasmo, nem mesmo nunca gozei com um parceiro. Isso me trazia grande tristeza e insatisfação, pois me sinto presa, travada, culpada, nunca me entrego 100%. Gozei pela primeira vez sozinha aos 28 anos, depois de compartilhar experiências com outras mulheres em grupos feministas do Facebook, usando um massageador de clitóris. Mas meu ritual de masturbação segue sempre uma receita: pornô e depois uso o bullet por poucos segundos e gozo, experiência essa que eu acho bem precária, limitada, insatisfatória.Queria contar então que agendei minha consulta e fui. Fiz no Centro Metamorfose, o qual acho bem confiável, em Belo Horizonte. Escolhi um terapeuta homem, Dhyan Garjan. Não tive nenhuma indicação, não conhecia pessoalmente ninguém que tinha feito a massagem e escolhi o terapeuta pelo site, escolhei aleatoriamente, mas também procurei por alguém que me inspirasse uma certa confiança. Sou hetero, namoro e escolhi um terapeuta homem, talvez porque minhas fantasias sejam todas heterossexuais, além de ser muito significativa a dificuldade que tenho de me entregar aos meus parceiros.Fui, tensa e nervosa, pensando mil vezes em desistir da ideia. O local, além de lindo, é muito acolhedor. Já na sala da massagem, primeiro nos sentamos em cadeiras de frente a frente e ele, muito profissional, educado e gentil, perguntou quais eram minhas expectativas com a massagem. Expliquei sobre meu travamento, culpa e falta de entrega, além de não me sentir muito satisfeita com a forma como me masturbo. Ele me explicou quais técnicas usaria no meu caso e o passo a passo de como tudo iria funcionar. Falou da importância de ficar de olhos fechados durante toda sessão para me concentrar totalmente nas sensações do meu corpo.Em resumo, deitei na cama, nua, de olhos fechados. Tudo, do início ao fim, foi feito ao som de músicas relaxantes e excitantes. Uma playlist magnífica. Inicialmente fizemos uns exercícios de respiração e relaxamento. Depois, ele começou fazendo uma massagem com a ponta dos dedos em todo o meu corpo (exceto nos genitais), dos pés ao couro cabeludo. Um toque leve, suave, sem pressa, incrível. Meu corpo ficou todo sensibilizado e devo dizer que eu estava muito excitada (e ansiosa) nessa hora. Depois, ele colocou as luvas (é tudo muito higiênico e profissional), usou um óleo massageador e massageou meu clitóris por um bom tempo.Não demorou muito e eu tive orgasmos maravilhosos, vários, e - pra minha surpresa - ejaculei várias vezes. O colchão (sorte que o colchão é protegido por uma capa impermeável) ficou todo molhado do meu gozo. Destaco que meu clitóris é bem pequeno e eu achei incrível a capacidade do terapeuta de encontrá-lo em poucos segundos, além de ter estimulado nos pontos certos onde me matou de prazer, pontos esses que eu nem tinha ideia de que eram assim tão prazerosos. É um conhecimento total do corpo humano e isso faz da terapia ainda mais interessante. Não houve penetração dos dedos, foi só estimulação clitoriana (confesso que senti falta disso), mas o terapeuta sabe qual técnica aplicar em cada caso e tenho certeza que aquela foi a adequada para mim naquele momento. Eu tive vontade de chorar de prazer várias vezes, gemi, me contorci, me libertei. Depois da massagem, teve um momento de relaxamento e meditação, pude refletir e sentir tudo que tinha acabado de acontecer. Me senti muito melhor comigo mesma, me senti mais dona de mim e ao mesmo tempo com muito a descobrir.Enfim, foi um investimento alto, mas valeu cada centavo. Eu saí de lá me sentindo diferente, saí me sentindo mais leve, poderosa, mais bonita e mais sexy, além de sentir que agora comecei a conhecer mais do meu corpo e do meu prazer. Isso já mudou a forma como eu me masturbo (sei que não preciso mais do pornô para me excitar) e vai mudar muito a minha entrega e minha exigência na cama. Foi uma experiência única que reverberou de forma muito forte na minha vida. Pras mulheres que tem dificuldades de atingir o orgasmo e que querem conhecer mais do próprio prazer, se puderem investir esse dinheiro, vão sem medo. É uma experiência maravilhosa."

Anônimo

Experimentou Massagem Tântrica com Garjan em 16/09

Falar da minha experiência com o tantra junto ao profissional em questão é, sem sombra de dúvida, falar de uma experiência de autoconhecimento e contato com conteúdos sombrios que até então escapavam ao meu campo de visão. Mas é, também, e sobretudo, falar de uma experiência de adoecimento que me colocou na contramão dos tantos relatos positivos comumente divulgados por essa instituição e pelo próprio terapeuta.O acompanhamento terapêutico no contexto da Kaya Terapias se deu entre janeiro e abril de 2017, período durante o qual tive uma interação harmoniosa e positiva com o terapeuta, que – vale o registro – se revelou um sério e dedicado profissional. A grande questão é que me expor a esse tipo de trabalho trouxe à tona uma série de questões que, infelizmente, intensificaram um processo depressivo já em curso, culminando em um desalento que se fez expressar por meio de uma transferência amorosa para o terapeuta.Em razão de profundas carências, imaturidade emocional, saúde mental e autoestima abaladas, faltou-me habilidade para lidar com tal transferência, que, havendo se arrastado ao longo de três anos e sendo, desde o início, do conhecimento do terapeuta, perdura até os dias atuais.Muito embora eu não creia que o presente relato venha a ser publicado, parece-me importante dizê-lo, pois, dada a relação que o senso comum acredita haver entre tantra e sacanagem, é natural que leigos e curiosos se permitam tal experiência imaginando-a necessariamente prazerosa. Não obstante – a não ser que eu seja a única exceção – trata-se de um trabalho que pode vir a ser doloroso como qualquer outro processo terapêutico.Nesse sentido, parece-me fundamental que, antes de entrar de cabeça em experiências afins, o interessado investigue se essas são de fato adequadas ao seu momento atual, demandas, crenças etc., colocando antes da curiosidade a responsabilidade sobre a própria saúde emocional. Eu não tive tal responsabilidade, e o preço pago por isso – além, claro, do investimento feito nas dispendiosas sessões, não pertencendo eu ao público-alvo desse tipo de serviço – foi uma depressão que, vale ressaltar, coloca em segundo plano a minha frustração por nunca haver tido nem mesmo um vislumbre dos famigerados orgasmos cósmicos exaustivamente alardeados pelo chamado Instituto Metamorfose.É bem verdade que, por ora, a depressão se configura como o meu único ponto de vista possível, obnubilando tudo à minha volta e inviabilizando uma conclusão mais sóbria acerca do que quer que seja. Todavia, à medida que avanço no tratamento psicoterápico e medicamentoso, tenho clareza quanto ao fato de que as feridas abertas a partir da experiência com o tantra me impulsionaram a fazer alguns movimentos, garantindo-me, inclusive, importantes conquistas para a minha vida. Ademais, o estado depressivo intensificado a partir daquela experiência – mesmo que me levando a considerar o suicídio como possibilidade de saída; mesmo que me fazendo perder noites de sono e dias de trabalho; mesmo que me sugando a concentração e o vigor; mesmo que me prendendo por dias na cama; mesmo que me levando a descuidar da minha higiene pessoal; mesmo que me obrigando a gastos consideráveis na desesperada busca pela cura – foi e tem sido útil ao meu autoaprimoramento. Nesse sentido, seria equivocado afirmar que a experiência não me trouxe resultados, pois ela trouxe sim, mesmo que a duras penas.Quanto ao terapeuta, devo dizer que a sua aparente serenidade, em conjunto com o hábito de evocar a experiência pessoal como forma de elucidar as questões trazidas pelo interagente, agrega significativo valor ao processo, criando uma moderada aproximação que, desde o início, faz da “cura” uma possibilidade palpável. Portanto, a despeito de algumas incongruências e de uma expressiva inabilidade para lidar com algumas questões – sobretudo no que tange a cômodos ainda pouco iluminados nele próprio –, Garjan se revela um competente e correto profissional.Assim, mesmo que não dispondo de uma bem-sucedida experiência pela qual eu possa me congratular, desejo-lhes sucesso em seu trabalho... e sorte aos que a ele recorrerem.

A. G.

Experimentou Massagem Tântrica com Garjan em 19/03

Se você fez uma sessão, faça o seu depoimento aqui :)

Publicações de Garjan

Inicie um atendimento com Garjan (Alex)

Preencha a Ficha de Anamnese básica para receber um retorno:

Você manifestou recentemente alguma destas condições?

Como entrar em contato com você?