Por que falar sobre Tantra é um tabu?

Por que falar sobre Tantra é um tabu?

Entrevista com Deva Nishok

Entrevista conduzida por Andréia Félix:

Deva Nishok: Tantra é uma palavra que, em Sânscrito, significa “Tramas”, os fios de comportamento que modelam e organizam a nossa vida. Tantra é comportamental e ele se ocupa exclusivamente com o comportamento humano. Não é um sistema filosófico, não é ciência, não é religião.

O Tantra tem base no comportamento humano e em seus aspectos relacionados. O Tantra se interessa pela forma como agimos ou reagimos, o que pensamos, porque pensamos, o que falamos. Palavras, pensamentos e ações são objeto de observação para um Tântrica, o neófito aprendiz desse sistema de desenvolvimento humano.

O Tantra nos desenvolve, sempre nos desenvolveu. Ele contém as chaves de compreensão da nossa natureza mais íntima, que é Divina em essência. Ele é que tem possibilitado o nosso desenvolvimento através dos tempos. Mas o homem não compreendeu ainda toda a potencialidade que as técnicas meditativas do Tantra oferecem em termos de desenvolvimento através dos sentidos. Nossa parte mais inteligente é a sensorial, assim como a de todos os animais e plantas.

Nosso desenvolvimento formativo, a formação de nosso corpo e de todas as partes que o compõem só é possível em função do potencial criativo que existe no hemisfério direito cerebral. O hemisfério esquerdo existe para a praticidade do dia a dia e para o cumprimento de tarefas ligadas à nossa sobrevivência. Mas a nossa sociedade sempre desprezou a potencialidade dos sentidos em detrimento da inteligência. Não se pode sentir com totalidade, deve-se pensar. Por isso, o Tantra é desprezado pela nossa cultura, pois é tido como orgíaco, lascivo, sensual, animal, sujo, pecaminoso. A base do trabalho com o Tantra é a energia criativa da vida, a qual chamamos Kundalini. Esse tecido energético une todas as coisas, pois tudo está permeado pela Kundalini. Estamos impregnados dessa energia e vivemos num imenso oceano existencial cuja água chama-se Kundalini. Vivemos e respiramos nessa energia vital. Diz-se que essa energia é sexual, pois ela trata da organização e sustentação molecular. Ela é que é responsável pela reprodução das células e por sua sobrevivência. Essa energia também possui os predicados de inteligência, necessários para que cada célula cumpra a sua função fisiológica e anatômica, segundo os papéis que vieram representar. Imagine que esse conhecimento, de total amor de uma inteligência criadora, esteja disponível a todos os homens indistintamente. Todos os seres são capazes de, não só compreender essa sabedoria tão pertinente e tão presente em suas vidas, mas também de senti-la em seu coração. Esse conhecimento, e essa percepção causam um certo efeito libertador na essência, pois ela sabe e sente que não necessita submeter-se mais aos jogos de poder de que tanto tratam políticos e religiosos no nosso mundo. Não seríamos mais joguetes de médicos inescrupulosos ou advogados desonestos.

O contato com a Kundalini nos vitaliza em vários aspectos, nos planos físico, mental, emocional e intelectual. A dimensão desses valores só pode ser compreendida por aqueles que já experimentaram o processo de Supraconsciência e se familiarizaram com a comunicação sem palavras que se manifesta, através de uma ordem divina. Não existem palavras que consigam explicar as ondas de nova inteligência e novas emoções que se apropriam dos praticantes, que afinal, experimentam um maravilhoso estado de liberdade e de confiança, uma conexão profunda com a vida. Por isso é difícil para a sociedade falar de Tantra. Significa falar de sua intimidade, de sua natureza mais íntima, de expressar as suas verdades e suas necessidades como alma e essência, daquilo que vieram cumprir nesse planeta e de tudo o que necessitam transformar em amor.

Acha que as pessoas têm dificuldades para enxergar a massagem tântrica sem pensar em conotação sexual?

Deva Nishok: É muito difícil para essa sociedade dissociar-se da idéia do sexo. A carência humana é enorme; carência de afeto, de carinho, de olhar, de cheiro, de abraçar, de ser tocado, de sentir-se acolhido no coração. Qualquer profissional de massagem, seja qual for a modalidade de massagem, seja shiatsu, drenagem linfática, ayurvédica, terapêutica, etc... sabe que o processo de Transferência - situação em que o cliente tenta um envolvimento com o terapeuta - acontece com muita regularidade e freqüência. Esse desvio comportamental acontece não só na massagem tântrica, que é a massagem mais sensorial que existe. Qualquer massagem possibilita que o cliente interprete os sinais de afeição, de carinho, de dedicação exclusiva, mesmo que por um período de tempo determinado àquilo que o cliente, seja homem ou mulher, muitas vezes já não recebe mais em casa. A conotação sexual acontece em diversas situações e surge como um reflexo da carência do indivíduo, que projeta a possibilidade de curar-se também em sua necessidade. O sexo humano é de péssima qualidade e nunca oferece as condições satisfatórias que o cliente necessita. Tem-se, muito erroneamente, que o mito do sexo tântrico oferece as mais perfeitas condições de prazer e acredita-se que todos os terapeutas que se dizem tântricos possuem grande experiência na área sexual, o que é outra ilusão. Graças a essa mentalidade, criou-se o mito de que a massagem tântrica, tanto quanto a massagem Thai, estejam ligadas à prostituição. Há um gigantesco vazio na espécie humana que não pode ser devidamente preenchido, pois a repressão moral, política e religiosa com relação ao modelo de comportamento sexual humano, é enorme.

Como define o tantrismo?

Em se tratando de Tantra, essa expressão é uma corruptela. Não se pode estudar Tantra, não se pode pesquisar o Tantra. O Tantra não tem via de acesso pelos instrumentos de análise. Ele é sensorial e só pode ser percebido pelo praticante. Tantra é proprioceptivo, ou seja, ele trata do desenvolvimento da própria percepção. É sensorial porque usa os sentidos, e desrepressor, porque a mente lógica não tem condições de reprimir. O que se sente, se sente, não é possível negar. A expressão “Tantrismo” veio a ser cunhada pela corrente yoguica do Tantra.

Ele é visto da mesma maneira no oriente e no ocidente?

Não. Somente na Índia, nos dias de hoje, existem mais de 30 mil escolas de Tantra. É um grande modismo que cresce ano após ano, em decorrência da imensa necessidade humana em se aprofundar no assunto. Quase a totalidade dessas escolas corrompeu o sentido original do Tantra, adaptando-o a um modelo que pudesse ser estudado e dogmatizado por seus adeptos. Surgiram então diversas escolas, mesmo com princípios tão antagônicos e paradoxais, como por exemplo, da visão tântrica do Taoísmo. O Taoísmo surgiu num país machista, dentro da visão patriarcal. Como uma visão matriarcal pôde ganhar adeptos numa sociedade de machos dominantes? O homem jamais poderá conhecer a natureza feminina e, se o conseguir, tudo o que fará, será dominar o feminino e subjugá-lo à sua força e à sua vontade. Eles desenvolveram então a técnica do Mulabanda, há muito utilizada na Índia por adeptos do Pranayama, que permite a elevação e a conscientização da Kundalini, promovendo maior clareza de raciocínio. Mas a contenção ejaculatória, tão preconizada pelos Taoístas, tem uma outra razão, escusa: O sexo Taoísta é de natureza orgíaca. Cada homem pode se relacionar com até seis mulheres numa única prática. Se o homem ejacular com a  primeira amante, não experimentará a segunda, a terceira, e todas as outras. Mas jamais você verá na sociedade Taoísta, uma mulher tendo práticas sexuais com seis homens. Há a visão tântrica do Yoga, cheia de contradições paradoxais. Yoga é uma disciplina austera de muita rigidez disciplinar, enquanto o Tantra é um profundo mergulho no relaxamento, na confiança e na entrega. O Yoga foi codificado por Patânjali, sendo que o Tantra vem de um período anterior ao Vedanta. Existe também a visão budista do Tantra, que dá ênfase ao mecanismo de morte, vida e renascimento, ciclo quase interminável de encarnações que a alma necessita, até alcançar a iluminação. Existem escolas que tratam da Magia ritual tântrica, como a Golden Dawn, a Gnose ou escolas xamânicas da antiga Rússia e Sibéria. Tantra não pode ter ritual. O ritual mata toda a possibilidade da espontaneidade do Tantra sobreviver. O ritual localiza-se no hemisfério esquerdo cerebral.  E também na década de 60, Sanniasyns, discípulos do Osho, cunharam uma nova vertente do Tantra, a qual batizaram de Neo Tantra, focalizada na liberdade de ser e viver. O Neo Tantra era de natureza orgíaca e focado quase que exclusivamente na liberdade sexual mesclado com processos terapêuticos que possibilitavam aos seus praticantes uma profunda sensação de êxtase. Todas essas visões deturparam os valores originais do Tantra tornando-o tendenciosos para determinados aspectos. O Tantra original é muito simples e muito fácil de ser acessado por qualquer pessoa, não exigindo nenhum tipo de qualificação.

Sentir prazer é libertar-se do mundo?

O prazer é algo pouco estudado ainda na nossa civilização. Sabe-se muito pouco sobre o prazer e seus efeitos repercussivos em nosso organismo. O prazer tem contrapartes e efeitos que são produzidos na mente, nas emoções e na alma da pessoa. O prazer é um potente remédio que cura muitos males da nossa sociedade. Na ausência do prazer, muitas patologias são desenvolvidas, algumas de caráter mórbido. A falta de prazer cria indivíduos anômalos, esquizóides, neuróticos e patológicos. O prazer é essencial á nossa sociedade. Mas os médicos não recomendam o prazer, os psicólogos não recomendam o prazer, os juízes não estabelecem a obrigatoriedade do prazer em suas sentenças. Os educadores nada falam sobre o prazer. O prazer causa uma revolução ao ser humano, pois é responsável pela produção dos principais hormônios do corpo – serotoninas, endorfinas, ocitocinas, a boa dose de adrenalina, etc... , hormônios fundamentais para que o indivíduo obtenha maior qualidade de vida e seja considerado saudável em inúmeros aspectos. Eles também agem no metabolismo, na relação com outros hormônios fundamentais ao equilíbrio do corpo, como a progesterona e a testosterona. Inúmeras patologias poderiam ser curadas facilmente com o restabelecimento imediato do prazer, principalmente o prazer sexual, desde que praticado de forma saudável e plena.

De que maneira o orgasmo liga-se à energia e à espiritualidade?

A palavra Orgasmo se originou do grego antigo e significa “movimentação dos líquidos orgânicos”. Com a intensificação do prazer, vários hormônios, ou “líquidos corporais” são produzidos, intensificados e mobilizados, produzindo inúmeras reações no corpo, na mente e nas emoções, influindo e agindo na contraparte espiritual. É difícil falar sobre o orgasmo para pessoas que nunca o experimentaram. Os grandes pesquisadores do Orgasmo reconhecem que aproximadamente 76 a 80% da população mundial não sabe o que é o orgasmo e nunca o experimentou. Hoje sabemos que o que a sociedade normalmente chama de orgasmo é um espasmo neuromuscular, de natureza contrátil, de onde se expande alguma força energética cuja ação oferece na sequência, um determinado relaxamento. Então, é comum dizer-se que o orgasmo oferece um grande relaxamento. É uma grande liberação da tensão. Tem-se a idéia de que o principal benefício do orgasmo é a sensação de relaxamento que ele oferece, dissolvendo as tensões e as angústias. Em geral, aprendemos a lidar com o orgasmo com as primeiras experiências com a masturbação. Para a grande maioria, senão para a totalidade das pessoas, nosso contato com o orgasmo se deve à  iniciação da prática da masturbação. Mas o orgasmo masturbatório é de natureza psicogênica, ou seja, precisamos imaginar, fantasiar, inventar o ato ou a ação em que a libido potencializa o orgasmo. Seria como se disséssemos que precisamos imaginar o frango assado na assadeira, sendo assado com batatas à Doré e arroz soltinho com farofa, para que os hormônios digestivos ativassem o processo pré-digestivo. Fantasiar oferece as condições que o cérebro necessita para produzir hormônios de qualquer natureza. No Tantra chamamos essa capacidade cerebral de  habilidade háptica e é considerada mais um sentido. Para nós, o cérebro é uma glândula e o pensamento pode ser considerado um hormônio, que interage com todos os outros hormônios. Alguns hormônios, quando intensificados, agem como produtores químicos que permitem acessar outras camadas espirituais da existência. Algumas partes do corpo, como a Glande, seja do pênis ou do clitóris, ou os mamilos, de homens e mulheres, e também determinadas linhas sensoriais do nosso corpo, quando estimuladas adequadamente, por um determinado período, oferecem as condições de penetrar em mundos e sistemas que se relacionam e interagem com o nosso. Passado, presente e futuro adquirem a qualidade de compreensão intrínseca e simplesmente sabemos das coisas sem a distinção de tempo e de espaço, com a qual estamos acostumados e condicionados.

De que forma o tantra pode tratar ansiedade e problemas emocionais?

As práticas sensoriais do Tantra, bem como suas meditações sociais, permitem um melhor equilíbrio hormonal, afetando todas as esferas do ser, corpo, mente, emoções e espírito, diminuindo as ansiedades, as depressões, as angústias e restabelecendo a auto-confiança e a auto-estima.

Como funciona uma sessão?

Se for uma sessão de massagem tântrica, temos várias possibilidades terapêuticas, algumas acordam a potencialidade sensorial do corpo, outras trabalham aspectos corretivos para disfunções sexuais como a impotência, problemas na capacidade eretiva, ejaculação precoce, no caso do homem, ou anorgasmia (incapacidade da mulher sentir o orgasmo) e insensibilidade genital no caso da mulher. Cada modalidade de massagem possui aspectos que são avaliados pelo terapeuta e aplicados segundo a necessidade de cada cliente. Nosso trabalho caracteriza-se pela seriedade e competência com que o realizamos. Os terapeutas credenciados são rigorosamente orientados a não se relacionar com os clientes, já que possuímos uma abordagem focada nas necessidades terapêuticas que o cliente necessita. Não há e não pode haver sexo inserido no contexto do trabalho oferecido através do Centro Metamorfose. Infelizmente, não recomendamos muitos dos profissionais que se encontram no mercado atualmente. É altamente recomendável que a pessoa obtenha informações sobre o profissional, ou que receba indicações sobre o atendimento, principalmente no que se refere à higiene do local e sobre a saúde das profissionais que atendem. Desconfie dos profissionais que dizem pertencer ou ter pertencido ao nosso quadro de terapeutas e que não constam em nossa relação de terapeutas indicados no site. Nosso trabalho é único e dinâmico, em constante desenvolvimento, completamente diferente de outras opções disponíveis no mercado de massagem tântrica. Nossas finalidades e resultados são absolutamente distintos, advindos de uma pesquisa que vem se desenvolvendo há mais de 15 anos.

Há constrangimento na primeira vez, seja pelo fato do cliente ficar nu ou por ser atendido por um homem?

Para as primeiras sessões, sim. No nosso espaço, em função da qualificação dos nossos profissionais, pela forma como eles orientam os clientes, pela postura ética e profissional, normalmente isso fica logo resolvido e em geral a pessoa rapidamente relaxa e confia no trabalho. Os resultados são imediatos, a pessoa logo começa a experimentar níveis inabituais de prazer, que logo vão se intensificando. Não há muito espaço para julgamentos desnecessários, pois a viagem ao prazer logo oferece uma nova condição de confiança.

Depois de algumas sessões, é possível que o cliente dê continuidade ao trabalho em casa?

Essa é exatamente a grande dificuldade do Tantra. Você encontra um nível inimaginável de prazer e se frustra ao perceber que as pessoas desconhecem essa possibilidade e ela não pode ser compartilhada. Pense bem, quem vai ficar uma hora e meia se dedicando a você, permitindo que você viva intensamente o seu prazer? E depois? Você vai se dedicar a oferecer o mesmo prazer intenso ao seu parceiro, por uma hora e meia? É preciso que aconteça uma mudança de paradigmas nas relações. As pessoas já se viciaram a ficar o domingo inteiro em frente à TV, vendo o domingão do Faustão. Esse é o seu grande prazer de domingo. Logo depois vem o Fantástico, o Show da vida. Nossa, isso é um orgasmo! Mas as relações sexuais duram no máximo dez minutos – ou quinze, nas melhores relações. As pessoas não se olham, não se ouvem, não se tocam, não se sentem. Têm que cuidar e se preocupar com os filhos, com os pais, com os animaizinhos de estimação, com os vizinhos. E não se preocupam consigo mesmos, não se dedicam ao que realmente necessitam, à carícia essencial.

Há mais procura de homens ou mulheres no Centro Metamorfose?

Hoje realizamos um trabalho para trazer as mulheres para a experiência. O número de homens sempre foi maior, pela natureza de suas disfunções sexuais. Mas hoje em dia, este número está equilibrado. Recebemos as mulheres com a proposta de transformar as suas vidas, em revelar o prazer orgástico para elas, dando-lhes um outro sentido para viver. Estamos obtendo o reconhecimento da mídia para o nosso trabalho exatamente pelos benefícios que oferecemos às mulheres. Nossa recomendação é que tenham muito cuidado na escolha de terapeutas, pois existem pessoas inescrupulosas, de má fé, atuando como massagistas. Exatamente agora estamos preparando um curso especial que vai ensinar as mulheres a obter o melhor aproveitamento do vibrador. O uso adequado do vibrador é fundamental para que a mulher alcance a melhor experiência orgástica em sua vida. Muitas mulheres compram vibradores econômicos e baratos e não conseguem obter os resultados adequados. Precisam de orientações sobre como comprar um bom vibrador e conhecer a sua anatomia e fisiologia clitoriana e vaginal para alcançar resultados expressivos.

Os homens costumam aceitar quando suas mulheres procuram a massagem tântrica?

Alguns sim. A mentalidade dos homens está mudando. Principalmente se há amor e cumplicidade. Sempre recomendamos que conheçam o espaço, que conversem com os terapeutas, sejam homens ou mulheres, que certifiquem-se que nosso trabalho não possui nenhuma conotação sexual entre os terapeutas e que realmente privilegiamos o resgate das relações. Muitos homens não sabem como tocar de maneira satisfatória as suas esposas e muitas mulheres também não sabem produzir um toque satisfatório que dê prazer contínuo ao homem, sem que ele ejacule rapidamente. No Centro Metamorfose, nós temos o maior prazer em ensinar o método Deva Nishok aos casais e parceiros, a fim de que possam melhorar a qualidade de sua relação.

Atividades da Terapêutica Tântrica

Outros artigos interessantes para você